18 de jul de 2012

46664

No mundo da Lú
Imagine-se um jovem negro, acordando na década de 90, cerceado dos seus direitos políticos, sociais e econômicos; vivendo em uma sociedade na qual uma minoria branca domina politicamente boa parte do território em que vive; amar e casar-se com uma branca é um apenas um sonho de contos de fadas, pois a realidade é apenas uma: negros e brancos não podem ocupar o mesmo espaço! Essa era a vida de milhares de africanos durante o Apartheid, regime político de segregação racial implantado na África do Sul entre 1948 e 1994. 
Certamente esse fato histórico está presente nos currículos escolares. Mas como o educador deve abordar esse tema em sala de aula? Que tal aproveitar a data de hoje, 18 de julho, aniversário do líder negro, Nelson Mandela

Jasapple
Mandela se destacou como líder da luta de resistência ao Apartheid ao tornar-se comandante do braço armado do CNA, Congresso Nacional Africano (movimento anti-Apartheid). Sua luta lhe custou uma prisão de aproximadamente três décadas. Mas após a campanha “Libertem Nelson Mandela”, que contava com o apoio de países estrangeiros, o ativista foi libertado e tornou-se o primeiro presidente negro da África do Sul. 
46664, número que o líder recebeu enquanto esteve preso, se ressignificou e passou a ser usado para outros fins, tais como, emblema da campanha contra AIDS e marca de uma linha de roupas. 
Ideais antagônicos? Certamente! Muitos estudiosos criticam o atual uso da imagem de Nelson Mandela. Cabe a você, educador, ampliar essa discussão. 
Explorar sobre o racismo, a desigualdade social e o Apartheid, é apenas o início da reflexão. Instigue seus alunos a pensarem criticamente sobre o mundo em que estão inseridos. Verifique os conhecimentos prévios que possuem sobre esses assuntos. Aristóteles já dizia “a dúvida é o princípio da sabedoria”, logo, plante a dúvida em seus discentes. Mostre a eles que os acontecimentos de hoje são reflexos ou consequências de um passado. Não se prenda em livros didáticos, amplie o conhecimento, use outras ferramentas, tais como, jornais, revistas, música e filmes. O filme Mandela: luta pela liberdade é uma possível ferramenta que lhe possibilitará uma discussão sobre o Apartheid e a figura do líder. 
E já que a dúvida é o princípio da sabedoria, fica aqui um questionamento. Será que hoje, aos 94 anos, Mandela acredita que conseguiu transformar o seu país em uma democracia para todos? Reflita!

Leandro Alves e Paloma Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário